Picciani, Albertassi e Paulo Melo vão continuar a receber salários

News3

Após o Tribunal Regional Federal da 2ª Região decidir pela prisão e afastamento dos deputados Jorge Picciani, Edson Albertassi e Paulo Melo, a Assembleia Legislativa informou nesta quarta-feira (23) que os parlamentares continuarão a receber seus salários. Os vencimentos, segundo dados da própria Casa, passam de R$ 25 mil brutos. O valor líquido é de aproximadamente R$ 19 mil.


Segundo explicação da Alerj, já que o TRF-2 determinou o afastamento, caiu, então, o pedido de licenciamento dos deputados. Todos os três tinham anunciado que se afastariam dos mandatos para cuidar das defesas. Como se tratava de "motivo particular", os parlamentares não teriam direito a receber salários.


A Casa informou que o prazo máximo de licença de um deputado estadual é de, no máximo, 120 dias. Caso o motivo não se trate de problemas de saúde, passado o período de quatro meses os deputados são substituídos pelos suplentes. Como foram afastados por decisão judicial, Picciani, Albertassi e Melo vão continuar a receber salários e não serão substituídos por suplentes.


Compartilhe:

Deixe seu comentário